Campeonato Brasileiro de Jiu Jitsu terá representante portossegurense

Ele tem apenas nove anos e já coleciona títulos diversos como o de Campeão da Costa do Descobrimento, do Campeonato Baiano e do Campeonato Sul-Americano. Seu nome é Kevin Jeremih e é mais um atleta em ascensão de Porto Seguro.

E agora nos próximos dias 14 e 15 de maio, o pequeno grande lutador estará na disputa em São Paulo do Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu, arte marcial que terá Kevin como único representante de Porto Seguro em sua categoria neste torneio.

Kevin é ítalo-brasileiro e treina jiu-jitsu há quase um ano e meio na Equipe Cemilton Reis. Aluno da Escola Mundaí, Kevin tem sido elogiado tanto dentro como fora dos tatames pelo seu desempenho como atleta e como estudante.

Dedicação

E essa dedicação rendeu ao lutador 7 medalhas no total: cinco de ouro e duas de prata sendo campeão da Copa do Descobrimento, bicampeão da Copa Bushido (Arraial D'Ajuda); vice-Campeão Sul-Americano, Campeão Baiano e vice-campeão no Campeonato Baiano e campeão em Porto Seguro.

É a primeira vez que o atleta participa de um brasileiro e a CBJJ é o principal torneio de Jiu Jitsu do Brasil. Kevin disputará a categoria infantil I, faixa cinza, categoria peso médio. Apesar da ansiedade, o atleta tem mantido o foco no que quer: vencer. Para quem quiser acompanhar a saga do lutador, acesse aqui. O campeonato será transmitido via Youtube.


 Foto: Divulgação

Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Copa Guaiamum tem início dia 22 de maio

Canoa havaiana: esporte alia diversão e sincronia com o mar

Porto Seguro tem jovens campeões mundiais de beach tennis

Solenidade da Câmara marca aniversário de Eunápolis

Casa de Lenha recebe exposição arqueológica

Copa Guaiamum tem início dia 22 de maio

WhatsApp Image 2021 11 15 at 151932

A partir do dia 22 de maio, tem início a Copa Guaiamum 2022. O evento esportivo pretende reunir 40 equipes de todos os bairros e distritos, e promete ser o maior Campeonato de Futebol Amador da história de Porto Seguro. Ao todo serão oito praças esportivas e arenas do município.

Na segunda-feira, dia 2 de abril foi realizado o Congresso Técnico, que contou com a presença do prefeito de Porto Seguro, Jânio Natal, do vice-prefeito e secretário de Turismo, Paulinho Toa Toa, do secretário de Esportes e Lazer, Hélio de Paula, e de outros secretários e equipe, no Eco Bahia.

Esporte

O prefeito destacou a importância do esporte na cidade. “Nosso coração sempre bateu com o futebol amador porque é o esporte mais democrático do mundo, basta uma bola, disposição e fôlego”, concluiu.

A competição é realizada pela de Liga de Futebol de Porto Seguro, com o apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer e terá a premiação total de 60 mil para os times campeões, além de troféus e medalhas.


 Com informações da Ascom Porto Seguro Foto: Divulgação (Arquivo)

Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Ônibus escolares são cedidos à Prefeitura de Porto Seguro

8º BPM tem mais uma rede de comunicação: o Twitter

Mais de 300 nadadores mergulharam na Copa Brasil de Águas Abertas

Canoa havaiana: esporte alia diversão e sincronia com o mar

Porto Seguro tem jovens campeões mundiais de beach tennis

Canoa havaiana: esporte alia diversão e sincronia com o mar

Usada como meio de transporte há três mil anos, a canoa havaiana tem a sua origem na Polinésia. Como esporte, a modalidade desembarcou na Europa e nas Américas, e vem ganhando cada vez mais adeptos aqui, inclusive na Terra Mãe do Brasil, tanto para a prática, quanto para a diversão.

Na orla de Porto Seguro e seus distritos, bem como nas cidades da região, as manhãs começam cedo para os praticantes. Muitas vezes, o sol nem raiou e já tem remada. Mas o que faz esse esporte ter tantos adeptos? A resposta é simples. Ele alia diversão, lindas paisagens vistas de um ângulo bem diferentes, é um esporte bem completo e complexo, além de promover a socialização e o trabalho em equipe, já que a sincronia nos movimentos é seu principal desafio.

Já em relação aos benefícios físicos, a canoa havaiana atua na perda de peso, melhora o condicionamento, tonifica os músculos e ajuda na flexibilidade, além do ganho de qualidade de vida.

Arraial

Juan Pablo Sanchez Durán é instrutor de Canoa Havaiana na praia de Pitinga em Arraial d’Ajuda, há quase dois anos, mas já tem uma história com o remo desde os 14 anos, quando iniciou a prática de Remo Olímpico, carreira finalizada aos 21 anos.

“Quando me mudei para Arraial, fiquei sabendo da Canoa Havaiana e fui procurar fazer. É bem diferente do remo Olímpico e a paixão pela atividade é instantânea. É o momento que você deixa sua vida ‘normal’ e vai para um mundo diferente, de conexão com a natureza, com o mar  e com o grupo. Posso dizer que a Canoa é um estilo de vida”, revela.

Juan explica que esta conexão se reflete na aula, na remada e na interação dos praticantes. “Quando realizamos expedições maiores, com 4 a 8 horas de remada, a integração entre os remadores é essencial. É quase um transe”, conta. Para

A base onde Juan é instrutor é uma das bases ativas nas competições e que já trouxe dois títulos: A volta de Vitória (ES), em Canoa Mista OC6 (entenda um pouco mais no Box abaixo) e o Primeiro Surf de Canoa que ocorreu no ano passado em Saquarema (RJ) em OC4.

“Também organizamos o primeiro campeonato de canoa em Arraial d’Ajuda. Apesar de ter sido um campeonato pequeno, com participação de bases da região, já inicia o fomento ao esporte. A canoa também tem se tornado um atrativo turístico, tanto para leigos, que tem uma experiência diferenciada e de desafio e superação, quanto para atletas e amadores, que aproveitam a viagem e demonstram interesse em conhecer outras bases de canoa, lugares, pessoas e técnicas de remada diferentes”, salienta.

Equipamentos

Para a prática da Canoa Havaiana, Juan explica que somente o remo é equipamento individual. “Coletes nós mesmos fornecemos, mas temos atenção em outros itens necessários, como óculos de sol, boné ou viseira, protetor solar, água. Na escolinha ou para o passeio, o remo é cedido. Porém para quem quer treinar, nós indicamos a compra de um remo, pois o comprimento do remo pode influenciar na remada e evitar lesões”, ressalta.

Juan explica que a prática do remo não é recomendada nos 3 primeiros meses de gravidez e em caso de lesões ou comprometimento médico. “Já em relação a idade, atualmente temos alunos de 20 a 74 anos, as a média é entre 30 e 50. Pela prática necessitar muito de técnica e sincronia, equipes com pessoas mais velhas tem mais destaque”, relata.

Trabalho Social

Mas nem só de remadas vivem os praticantes da Canoa. No caso da CPP, que iniciou com um grupo de amigos que fabricaram suas próprias canoas e que hoje possuem 10 bases, sendo na região (2 em Arraial, 1 em Porto, 1 em Taperapuã e 1 em Coroa Vermelha), em Salvador (1 na Praia do Forte), Brasília e Espírito Santo, a contribuição social é um quesito aplicável. “Um exemplo foi o dia das crianças do ano passado, realizado para crianças da Comunidade Indígena de Aldeia Velha. Conseguimos arrecadar dinheiro e comprar brinquedos que foram doados à escola da aldeia. Também os trouxemos para uma experiência na canoa. Com isso, criamos laços e os ajudamos com suporte ao que necessitam. Também ajudamos a população ribeirinha do Buranhém com doações para as famílias que sofreram com as enchentes que assolaram a região”, revelou.

A canoa também tem seus rituais e são seguidos pelos alunos e instrutores. “Mesmo as canoas não sendo mais feitas de árvores como antigamente e sim de fibra de vidro, alguns rituais continuam sendo os mesmos, como é o caso do batismo da canoa, que recebe os ornamentos, o respeito pelo equipamento, que recebe um nome e faz parte da equipe. Uma das formas de respeito é que pedimos para que as pessoas não pulem a canoa. Ela é uma entidade e parte do grupo. É uma forma de demonstrar o zelo e respeito pelas pessoas que a fizeram. Na nossa base temos duas OC6, que são a Guaiamum e a Saravá e um OC4, a cavala branca.



Dicionário da Canoa Havaiana

Va’a = é a canoa; atualmente todas elas sejam havaiana ou polinésia recebem este nome

OC= a sigla significa Outrigger Canoe, nomenclatura utilizada no Havaí também pode ser utilizada a sigla V, referente a Va'a; a numeração que a acompanha é o número de pessoas que cada canoa comporta (OC1, OC2, OC3, OC4 ou OC6).

Ama = é o flutuador lateral

Lakos = são os braços que ligam a canoa ao flutuador


 Fotos: Débora do Carmo

Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Compra de respiradores: PGE esclarece situação dos processos

Coroa Vermelha: Missa dos 522 anos de evangelização do Brasil é realizada

Briga de casal termina em morte

Alunos da Escola Manoel Carneiro visitam a Câmara de Porto Seguro

Novo golpe tem assustado empresários em Porto Seguro

Mais de 300 nadadores mergulharam na Copa Brasil de Águas Abertas

No fim de semana, dias 30 de abril e 1º de maio, aconteceu a Etapa do Descobrimento da Copa Brasil de Águas Abertas, em Porto Seguro. Com mais de 300 atletas, o evento sediado pela primeira vez na Terra Mãe do Brasil, contemplou a disputa nacional, além do Troféu Ana Marcela Cunha (para crianças) e etapa do campeonato baiano da modalidade.

Foram disputadas provas de 250m, 500m, 1.5km e as principais de 5km (sábado) e 2.5km (domingo). Na pontuação geral de clubes, a vencedora foi a equipe Lucas Oliveira Natação, as ‘pratas da casa’.

Positivo

Um dos participantes da prova foi o Comandante do 8° Batalhão, o Tenente Coronel PM Alexandre Costa, na categoria Sênior F (2,5km). "Esses eventos trazem notoriedade para a região, além de agregar valor para o turismo e o comércio locais. Nesse contexto, a Polícia Militar está sempre atenta e disposta a atuar conforme sua competência legal, a fim de garantir a ordem e a paz social", declarou.

O presidente da Federação Baiana de Desportos Aquáticos e organizador da prova, Diego Albuquerque avaliou como positiva a etapa que teve apoio da Prefeitura, da Secretaria de Esportes e Lazer. “O resultado desta competição é a inclusão definitiva de Porto Seguro no calendário oficial da Copa Brasil”, revelou.

Orgulho também para a cidade, conforme ressaltou o secretário de Esportes e Lazer, Hélio de Paula, em nome do prefeito, Jânio Natal. “Estamos certos de nos empenhar ao máximo para assim como este grande evento nacional incluiu Porto Seguro no calendário anual, investiremos para atrair outros de várias modalidades”, destacou.

Confira a classificação:

Camp. Baiano e Geral (sábado)

Feminino:

1- Malu Cunha

2- Victoria Beatriz

3- Claudine Tekes

Masculino:

1- Ronaldo Zambrano

2- João Avelar

3- Raul Lessa

Copa Brasil (sábado):   

Feminino:

1- Gabriela Soriano

2- Pamela Engel

3- Flavia Santilli

Masculino:

1- Renan Santos

2- Guilherme  Zampieri

3- Gustavo Andrade

Camp. Baiano e Geral (domingo)

Feminino:

1- Malu Cunha

2- Victoria Beatriz

3- Lizian Sobral

Masculino:

1- Ronaldo Zambrano

2- Luiz Henrique Camargo

3- João Avelar

Copa Brasil (domingo):

Feminino:

1- Gabriela Soriano

2- Julia Melissa Machado

3- Pamela Engel

Masculino:

1- Renan Santos

2- Gustavo Andrade

3- Guilherme Cruz


 Com informações do Ascom Porto Seguro Foto: Divulgação

Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Porto + Profissional tem formatura do 1º ciclo

Com inscrições abertas, Festival Pamba seleciona bandas para mostra musical

Coroa Vermelha celebra missa dos 522 anos de evangelização

Quando a diversão, a sincronia e o esporte se aliam no mar – Conheça a Canoa Havaiana

Alunos da Escola Manoel Carneiro visitam a Câmara de Porto Seguro

Porto Seguro tem jovens campeões mundiais de beach tennis

Entre os dias 20 e 24 de abril foi realizado o maior torneio de Beach Tennis do Mundo, nas areias de Copacabana, no Rio de Janeiro. O Follow the Beach Copacabana reuniu mais de 6 mil atletas, e teve premiações que somaram US$55 mil no total. O evento que faz parte do Circuito Brazil Beach Tennis Tour teve a presença de dois atletas, que se tornaram campeões mundiais das categorias sub 14 e sub 12, representando Porto Seguro, mais precisamente o distrito de Arraial d’Ajuda. Além deles, mais três outros jogadores de Arraial d’Ajuda disputaram o campeonato.

Nascidos em Ravena, cidade italiana onde o Beach Tennis foi criado, os irmãos Valentino e Leonardo Zanigni, de 13 anos e 12 anos, iniciaram seus primeiros passos nesse esporte, nas quadras de areia de Arraial. E trouxeram as medalhas de campeões para a Terra-Mãe.

Resultado

Treinador de Beach Tennis e pai de Leo e Valentino, Daniele Zanigni, está com a família há sete anos no Brasil. Ele explica que a vitória é resultado de treino, persistência e amor ao esporte. “Hoje os meninos são semi-profissionais e tem patrocínio da Heroes e como campeões mundiais se abre um novo cenário e as portas do mundo todo. Hoje comemoramos a vitória dos meus filhos. Amanhã vamos comemorar outros atletas, pois este projeto em Arraial d’Ajuda tem gerado bons frutos”, salienta.

Mãe de Valentino e Leo, Cristina Zanigni acompanhou os jogadores no Torneio e explicou que o Follow Rio é um campeonato bem importante e é a primeira vez que participam de um torneio tão grande. “O próximo será em 11 de maio na Itália, onde eles disputarão juntos na categoria Sub-14 Masculina EC. No Brasil, o próximo será em maio aqui em Porto Seguro”, conta.

Participação

Valentino, que treina há 3 anos a modalidade explica que foi muito bom participar do Follow Rio e conhecer vários profissionais. “Foi muito bom ganhar a Sub-14 em um torneio tão grande e ver o Beach Tennis crescendo, conhecer os número 1 do Brasil e do Mundo. É sempre bom ganhar, tínhamos a possibilidade de vencer e corremos atrás”, ressaltou.

Leonardo treina Beach Tennis há 2 anos e fala que foi muito legal a experiência de participar de um torneio tão grande e conhecer profissionais da modalidade. “Ganhei o Sub-12, mas no próximo torneio jogo em dupla com meu irmão na categoria Sub-14. Para este próximo torneio esperamos ganhar também. Depois desse será em Porto Seguro, mas ainda dependemos do patrocinador para saber quem será meu parceiro”, completou.

Interação

A diferença do Beach Tennis para outros esportes, como explica o praticante do esporte Delfim Rone Afonso é a interação entre idades. “O esporte permite que em uma mesma quadra joguem pessoas mais velhas e crianças. Ele trabalha a mente e o físico e une pessoas. Agora estamos reivindicando espaço para a construção de mais quadras para atender a demanda que é crescente nesse esporte”, revela.

O Beach Tennis em Arraial já tem uma história de 6 anos, com torneios mensais realizados no espaço, que possui hoje duas quadras, mas que sente a necessidade de ter um total de 6. “O Brasil é o maior mercado de Beach Tennis do mundo e deixou a Itália em segundo lugar. Isso se deve ao clima, pois na Itália não há como praticar o esporte no inverno, como aqui. Outro motivo da popularização é a facilidade de acesso e aprendizado, já que é preciso apenas 4 raquetes, bolinhas e uma quadra de areia com rede. Penso que este esporte foi feito para brasileiros, por ser alegre, divertido, ter interação e que combina com o clima tropical do Brasil. Também por não ser um esporte de contato, a pandemia também ajudou a popularizar o Beach Tennis”, comenta Daniele.

O local de treinamento em Arraial d’Ajuda é mantido pela comunidade e atende não apenas os campeões mundiais, mas cerca de 50 praticantes e atletas amadores e, porque não dizer também, pessoas de todas as idades que encontraram neste esporte, lazer e diversão, além das areias da praia. Atualmente, 5 professores se revezam para ensinar a modalidade.


Fotos: Débora do Carmo 

Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Sub 11: Escolinha de Porto Seguro é destaque em Salvador

Copa Brasil de Águas Abertas tem etapa em Porto Seguro

Super PraiaMed lota o Arraial d’Ajuda no feriado

Ave extremamente rara é fotografada em Belmonte

Bailarina baiana é selecionada para participar da ópera Aída