Bahia vence Prêmio ANA em duas categorias

Trabalhos realizados na Bahia pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco e pela Associação Baiana dos Produtores do Algodão (ABAPA) conquistam os dois primeiros Troféus Prêmio ANA para o estado

Em 22 de março, Dia Mundial da Água, a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) anunciou os trabalhos vencedores das oito categorias do Prêmio ANA 2020: Comunicação, Educação, Empresas de Médio e de Grande Porte, Empresas de Micro ou de Pequeno Porte, Entes do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos (SINGREH), Governo, Organizações Civis, além de Pesquisa e Inovação Tecnológica. A cerimônia de anúncio dos vencedores está disponível no canal da instituição no YouTube (www.youtube.com/anagovbr) e integra a programação do Seminário Águas Brasileiras.

A Bahia venceu na categoria Organizações Civis com o projeto Identificação, Proteção e Recuperação de Nascentes na Região Oeste da Bahia, realizado pela Associação Baiana dos Produtores do Algodão (ABAPA). O trabalho concorreu na final com a iniciativa Captação de Água de Chuva para a Produção de Alimentos Saudáveis, realizada pelo Centro de Educação Popular e Formação Social (CEPFS), da Paraíba. O outro finalista foi o projeto Plantando Águas, da Iniciativa Verde (SP).

Realizada pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), por meio da Agência Peixe Vivo, a Campanha em Defesa do Rio São Francisco aconteceu na bacia, que possui grande parte de sua área na Bahia. A ação conquistou o Troféu Prêmio ANA na categoria Entes do SINGREH. Acesse aqui os detalhes de cada trabalho finalista.

Nesta edição do Prêmio ANA, pela primeira vez não houve a presença dos representantes dos trabalhos concorrentes, devido ao agravamento da pandemia do novo coronavírus (COVID-19). Entre os 24 finalistas, todas as regiões do Brasil estavam representadas. Conheça todos os vencedores da premiação entre 2006 e 2017.

Os oito vencedores receberão o Troféu Prêmio ANA sem terem que sair de casa, já que ele será enviado por correio. Os ganhadores também poderão utilizar pela primeira vez o Selo Prêmio ANA: Vencedor, que atesta a qualidade do trabalho premiado, enquanto os outros dois finalistas de cada categoria (16 projetos) terão o direito de usar o Selo Prêmio ANA: Finalista também para demonstrarem o reconhecimento da premiação às boas práticas que chegaram à fase final. O Prêmio ANA reconhece trabalhos que contribuem para a segurança hídrica, gestão e uso sustentável das águas para o desenvolvimento sustentável do Brasil.

Entre 22 e 25/02, aconteceu a Semana de Apresentações dos Finalistas do Prêmio ANA 2020, quando os 24 projetos finalistas do Prêmio puderam dar mais visibilidade para seus trabalhos para que eles possam ser replicados pelo Brasil – sentido maior que move a premiação. As apresentações foram realizadas em lives, transmissões ao vivo, pelo canal da ANA no YouTube.

Recorde de inscrições

O Prêmio ANA 2020 já fez história com o recorde de 695 inscrições de todos os estados do Brasil e do Distrito Federal, mesmo num contexto de pandemia. O total supera a marca anterior registrada no Prêmio ANA 2017, quando 607 boas práticas participaram. Nesta edição histórica da premiação, que encerra a celebração dos 20 anos da Agência, a categoria com maior número de iniciativas inscritas foi Pesquisa e Inovação Tecnológica: 157 no total.

Para as demais categorias as inscrições ficaram divididas assim: Comunicação (129), Governo (102), Empresas de Médio e de Grande Porte (86), Educação (59), Organizações Civis (66), Empresas de Micro ou de Pequeno Porte (59) e Entes do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos (37).

Coube à Comissão Julgadora, presidida pelo diretor da ANA Oscar Cordeiro Netto, definir os três finalistas de cada categoria, com base nos seguintes critérios: efetividade, inovação, impactos social e ambiental, potencial de difusão, sustentabilidade e adesão social. Para a categoria Comunicação, o critério de sustentabilidade não será aplicável.

Os demais integrantes da Comissão Julgadora foram selecionados com base em seu notório saber e reputação ilibada. São eles(as): a secretária executiva da Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Distrito Federal, Marília Marreco; o ouvidor do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), Sérgio Carazza; a gerente do Departamento de Desenvolvimento Sustentável da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), Anícia Pio; o coordenador geral do Mestrado Profissional em Rede Nacional em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos (ProfÁgua), Jefferson de Oliveira; o gerente executivo da Agência UFLA de Inovação em Geotecnologia e Sistemas Inteligentes da Universidade Federal de Lavras (UFLA), Samuel Campos; o assessor especial da Diretoria de Desenvolvimento Social da Fundação Banco do Brasil (FBB), Rogério Miziara; a diretora de Jornalismo da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Sirlei Batista; e o presidente da Rede Brasil de Organismos de Bacias Hidrográficas (REBOB), Lupércio Ziroldo.

Criado há 14 anos pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico para reconhecer as melhores práticas e iniciativas voltadas ao cuidado das águas do Brasil, o Prêmio ANA é a mais tradicional premiação do setor de águas do Brasil e já contabilizou 2.952 trabalhos inscritos, tendo premiado 40 projetos de todas as regiões do Brasil, que se destacaram pela sua contribuição ao desenvolvimento do País. Conheça todos os vencedores e finalistas da premiação no Banco de Projetos.


Fonte: Ascom ANA

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar