Cempre divulga dados do setor empresarial baiano; crescimento em 2020 é de 1,6%

Nesta quinta-feira, dia 23 de junho, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou informações do Cadastro Central de Empresas (Cempre). Atualizado anualmente o documento reúne informações de empresas e outras organizações inscritas no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), da Secretaria Especial da Receita Federal. Uma das informações mais relevantes do Cempre baiano é que em 2020 houve crescimento de 1,6% (4.098 novas unidades ativas) do setor empresarial, impulsionado principalmente pelo aumento no número de microempresas (ME) com até 9 empregados, que representam 87,8% do total de empresas ativas na Bahia, em 14 das 21 seções da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE).

Em todos os demais grupos de empresas por porte, houve queda do número de unidades. As pequenas (de 10 a 49 funcionários) perderam 1.781 unidades (-10,4%), enquanto as grandes empresas (de 50 a 249 funcionários) encolheram 1,3% (- 104 unidades). As acima de 250 funcionários ou mais perderam 14 unidades (0,5% do total).

No Brasil como um todo, o número de unidades locais de empresas cresceu 3,4% entre 2019 e 2020, passando de 5.790.027 para 5.989.353, o que representou um saldo de mais 199.326 unidades em um ano.

O segmento de saúde humana e serviços sociais, foi o que mais cresceu 6,4% (1.114 a mais que no ano anterior), seguido pelo setor de comércio, reparação de veículos automotores e bicicletas (0,7%; 797 empresas). A maior retração ocorreu em alojamento e alimentação, com menos 402 unidades (-2,9%, 13.281 empreendimentos).

Segundo o cadastro, o Estado ficou em 15º lugar em crescimento do número de empresas. Mesmo assim, é o Estado com mais unidades locais de empresas no Norte-Nordeste, tendo o sétimo maior número do País. São Paulo (1.852.244), Minas Gerais (624.499) e Paraná (497.055) lideram entre os estados.

Pessoal

Já em relação à empregabilidade, houve queda de 1,3% no saldo de ocupação no Estado, sendo a quinta maior do país, abaixo  apenas do Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul e Pernambuco. 

Destaque negativo para alojamento e alimentação, que perdeu 18.905 postos de trabalho, queda de 17,3% em um ano. Comércio, reparação de veículos automotores e bicicletas seguem sendo as que mais empregam na Bahia, com 530.118 trabalhadores, porém houve queda de 3,0% entre 2019 e 2020.

Por outro lado, saúde humana e serviços sociais apresentou o maior aumento absoluto, com um incremento de 12.907 trabalhadores em um ano (+6,2%).

No Brasil como um todo, entre 2019 e 2020 houve recuo de 1,0% nas vagas das empresas formais.  O número de trabalhadores aumentou apenas em 11 dos 27 estados, com destaques para Santa Catarina, Pará e Mato Grosso.


 Com informações da Ascom IBGE Foto: Reprodução

Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Sessão da Câmara é cancelada por falta de quórum

FNSL abre vestibular e concurso para bolsa de estudo

Salvador terá mais de 230 atrações no São João

Juizado doa R$ 94 mil para projetos de associações beneficentes

Desconto no IPVA para veículos com placas finais 7 e 8 termina em junho

 

Oportunidade: SineBahia divulga vagas de emprego

O SineBahia divulgou na segunda-feira, 13/06, diversas oportunidades de trabalho disponíveis para Porto Seguro (confira abaixo). O serviço, realizado pela Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) do Governo da Bahia em parceria com o Governo Federal, identifica, analisa e encaminha profissionais para as vagas oferecidas pelos empregadores.

Atendimento

Para atendimento no SineBahia, não é necessário realizar agendamento. As senhas são distribuídas conforme disponibilidade e por ordem de chegada. É preciso levar a carteira de trabalho física ou digital, RG, CPF, PIS e cartão de vacinação contra Covid-19. Algumas vagas pedem documentos específicos, que também devem ser apresentados no ato.

Os interessados em concorrer às vagas devem buscar atendimento na unidade do SineBahia de Porto Seguro, que fica no SAC Porto Seguro. O endereço é Rua Assis Chateaubriand, 68 - Passarela do Descobrimento - Centro de Porto Seguro.

Confira as vagas do SineBahia - Unidade Porto Seguro

AUXILIAR ADMINISTRATIVO
Ensino superior (cursando ADM)
Com experiência
2 vagas

AUXILIAR DE DENTISTA
Ensino médio (curso de ACD)
Com experiência
1 vaga

ATENDENTE BALCONISTA
Ensino Médio completo
Experiência 6 meses
1 Vaga

ATENDENTE DE LOJA
Ensino Médio completo
Experiência 6 meses
1 Vaga

AUXILIAR DE LIMPEZA
Ensino Fundamental
Experiência 6 meses
1 Vaga

AUXILIAR DE COZINHA
Ensino Fundamental
Experiência 6 meses
1 Vaga

AUXILIAR DE MANUTENÇÃO
Ensino Fundamental
Experiência 6 meses
1 Vaga

BARMAN
Ensino Médio
Experiência mínima de 6 meses
2 Vagas

COZINHEIRO
Ensino médio completo
Experiência 1 ano
1 Vaga

GARÇOM
Ensino Médio
Experiência 6 meses
1 vaga

LAVADOR DE PRATO
Ensino fundamental
Experiência mínima de 6 meses
4 Vagas

PEDREIRO
Ensino Fundamental
Experiência 6 meses
1 Vaga

PIZZAIOLO
Ensino Médio
Experiência mínima de 6 meses
1 Vaga


Com informações do SineBahia Foto: Reprodução 

Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Nova CNH será substituída de forma gradual e sem custo extra

Sebrae realiza palestra Conexões Náuticas

Cantora de Porto Seguro é selecionada para reality da Band

Servidores baianos tem pagamento antecipado em junho

Saiba tudo o que vai acontecer no São João de Porto Seguro

Mesmo na baixa, passagens aéreas estão nas alturas

 

Nas últimas semanas, o valor das passagens aéreas tem subido vertiginosamente. Os preços praticados pela Cias aéreas estão muito mais altos do que os praticados em novembro. Em Porto Seguro, a chamada 'baixa temporada', época em que normalmente, devido à diminuição de turistas oferecem maior demanda de voos e consequentemente menores preços, em 2022, tem sido diferente.

Esta semana, em pesquisa realizada em sites de cias aéreas e de venda de passagens, média de preços para o trecho São Paulo – Porto Seguro – São Paulo está na faixa de R$ 1.500. Uma diferença de mais de 50% se comparado a novembro do ano passado, quando a média era de R$800. Isso sem contar em outros trechos com valores ainda maiores.

Motivo

Para entender o motivo desta alta de preços, o Jornal do Sol contatou as aéreas Latam, Azul e Gol. Segundo nota da Latam, “a vulnerabilidade externa em função da guerra na Ucrânia impacta diretamente no preço do petróleo e, consequentemente, no preço do querosene da aviação (QAV) e nos custos da empresa. Diante disso, precisou realizar ajustes nos preços de passagens”, esclareceu.

A Azul informou que “em relação à política tarifária, os preços praticados na comercialização de seus bilhetes variam de acordo com uma série de fatores importantes como trecho, sazonalidade, compra antecipada, disponibilidade de assentos, entre outros. Além disso, a companhia ressalta que a alta do dólar e do combustível também são elementos que influenciam nos valores das passagens”, explicou.

Já a Gol, até o momento de postagem desta matéria, não havia se pronunciado.

Rodoviário

Outra rota que também sofreu alteração nos valores foi a rodoviária. A mesma rota do trecho Porto Seguro – São Paulo, em novembro custava em torno de R$ 250. Atualmente, o valor é 55% mais caro (R$ 450).

A inflação também tem impactado a economia e consequentemente, o aumento nos preços.  Segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ela subiu 1,62% em março, após alta de 1,01% em fevereiro. Este é o maior resultado para o mês desde 1994, quando a inflação chegou a 42,75%, período pouco antes da implementação do Plano Real. O percentual de março também configura como a maior taxa mensal para o índice desde janeiro de 2003, quando foi de 2,25%.


 Foto: Reprodução

 Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Conta de energia terá novo aumento

Super PraiaMed lota o Arraial d’Ajuda no feriado

Ave extremamente rara é fotografada em Belmonte

Estado realiza leilão de bens públicos

Bailarina baiana é selecionada para participar da ópera Aída

Veracel celebra o Dia da Indústria e apresenta resultados

 

No dia 25 de maio, foi celebrado o Dia da Indústria e a Veracel comemorou a data, destacando seus resultados de 2021 e as três décadas de operação no Sul da Bahia. No ano assada, a companhia produziu 1.069.658 toneladas de celulose e teve altos índices de eficiência operacional em sua fábrica.

A empresa também é autossustentável, reciclando mais de 98% de seus resíduos e gera energia limpa por meio da queima do licor negro resultante do processo produtivo de celulose e também de produtos na região e que seriam descartados, como o caroço do açaí e o bagaço de cana de açúcar.

Economia

Presente em 11 municípios da região Sul da Bahia, e responsável por mais de 3 mil empregos diretos e indiretos, suas operações resultaram na injeção de R$ 745 milhões à economia da região por meio de compras e contratações locais, além de R$ 32 milhões em apuração de tributos municipais, estaduais e federais. Já cumprindo seu papel social, a empresa investiu R$ 11 milhões em projetos que beneficiaram cerca de 16 mil pessoas no ano passado.

 De acordo com o Diretor Industrial da Veracel, Ari Medeiros, os números comprovam o quanto a fábrica e atividades no território contribuem com o desenvolvimento social e econômico da região. “Por isso, muito mais do que celebrar o Dia da Indústria, hoje comemoramos também estas entregas e a nossa certeza de que ainda vamos crescer muito juntamente com as comunidades do Sul da Bahia. Ainda o uso de tecnologia como ferramentas de predição de falhas, ampliação da conectividade da planta e ainda a recém-inaugurada Sala de Confiabilidade 4.0, que concentra todas as operações tecnológicas da fábrica, agilidade, segurança e economia de recursos em nossa operação e garantem excelentes resultados”, revelou.


 Com informações da Veracel Celulose Foto: Ricardo Telles

Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Posto do TRE-BA tem novo endereço

Governo do Estado publica IN sobre publicidade institucional no período eleitoral

Veracel apresenta Relatório de Sustentabilidade de 2021

Extremo Sul recebe campanha de conscientização da Veracel

Veracel e Conservação Internacional realizam mapeamento Cadeia Produtiva da Pesca

Conta de energia terá novo aumento

 

Desde o dia 22 de abril, o reajuste tarifário anual da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Neoenergia Coelba) está em vigor, tanto para estabelecimentos comerciais, quanto para residências.

Aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na terça-feira, dia 19, o novo valor recebe uma alíquota de 21,13% para as tarifas da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia, a Coelba.

Aumento

Para as indústrias, o aumento será de 20,54%. Já para o grupo que inclui os imóveis residenciais, a nova tarifa terá o acréscimo de 21,35%.

Isso significa que uma residência que tinha gasto médio de R$200, passará a pagar cerca de R$42 a mais. Já para uma indústria que tem tarifa média de energia de R$1.000, o valor sobe para R$1.220,54.


 Com informações da Aneel Foto: Reprodução (Guga Matos/JC Imagem)

 Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Super PraiaMed lota o Arraial d’Ajuda no feriado

Ave extremamente rara é fotografada em Belmonte

Estado realiza leilão de bens públicos

Taxa de ocupação em abril supera expectativas em Porto Seguro

Ponte do rio dos Frades será interditada por quatro dias para reforma