Baiano cria programa para diagnóstico de Covid-19 pela câmera do celular

Um estudo inovador pode auxiliar e baratear os testes de Covid-19, além de acelerar o diagnóstico da doença. E o mais interessante: usando apenas um programa e a câmera do celular. Isso é o que propõe o baiano e doutor em biotecnologia pela Universidade Federal da Bahia, Filipe Benvenuto, que desenvolveu o app que deve agilizar o resultado dos testes e também ajudar nas políticas públicas do país.

As câmeras dos celulares tem cada vez mais funções, além dos registros fotográficos, leitor de código de barras, e de QR Codes. Agora, graças aos esforços de Benvenuto, logo poderemos ter o resultado rápido, simples e de forma sustentável para o Covid-19. O trabalho utiliza um sinal óptico de inteligência artificial para a detecção de agentes virais, e foi adaptado ao SARS-CoV-2.

Benvenuto explica que durante seu doutorado, atuou no grupo do Dr. Hadi Shafiee, desenvolvendo pesquisa com saúde digital. “Nesse período, ajudei a desenvolver um trabalho que utilizava uma tecnologia semelhante à de um sinal óptico e inteligência artificial para a detecção de vários agentes virais. Quando a pandemia do coronavírus começou, procuramos adaptar nossa pesquisa para a detecção do SARS-CoV-2, utilizando a tecnologia CRISPR/Cas12”, revelou.

Tecnologia

A tecnologia CRISPR - Repetições Palindrômicas Curtas Agrupadas e Regularmente Interespaçadas revolucionou a engenharia genética por causa da sua capacidade de reconhecer e modificar um alvo específico. Segundo o doutor os biossensores criados a partir dessa tecnologia são alternativas inovadoras e versáteis para a detecção molecular de agentes infecciosos.

“Meu trabalho apresenta uma prova de conceito de um biossensor baseado na tecnologia com um sinal óptico simples. O resultado desse teste é detectado usando a câmera de smartphone sem usar nenhum acessório de smartphone ou hardware óptico, utilizando um aplicativo de visão computacional e o resultado é dado um minuto depois do processamento da imagem pela câmera do celular”, explicou.

A pesquisa foi financiada pelo Instituto Nacional de Saúde dos EUA (NIH), pelo Brigham and Women’s Hospital e teve o apoio de uma bolsa de doutorado sanduíche do programa CAPES-PRINT durante o estágio doutoral.

Segundo o pesquisador esse teste é fundamental para guiar as políticas públicas para contenção do vírus no Brasil e no mundo e permite a democratização do acesso ao diagnóstico em áreas descentralizadas.

Bahia Faz Ciência

A Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e a Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb) estrearam no Dia Nacional da Ciência e do Pesquisador Científico, 8 de julho de 2019, uma série de reportagens sobre como pesquisadores e cientistas baianos desenvolvem trabalhos em ciência, tecnologia e inovação de forma a contribuir com a melhoria de vida da população em temas importantes como saúde, educação, segurança, dentre outros. As matérias são divulgadas semanalmente, sempre às segundas-feiras, para a mídia baiana, e estão disponíveis no site e redes sociais da Secretaria e da Fundação. Se você conhece algum assunto que poderia virar pauta deste projeto, as recomendações podem ser feitas através do e-mail comunicacao.secti@secti.ba.gov.br.


Com informações da Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação – Secti (Fotos: Divulgação)  

Siga o Jornal do Sol no Instagram

LEIA TAMBÉM:

Confira a atualização dos casos de Covid-19 e vacinação na região

Anvisa autoriza mais um medicamento para o tratamento da Covid-19

Celulares antigos não terão Whatsapp. Saiba quais

IPTU Verde dá desconto no imposto para quem tem energia solar

Setembro Verde: prevenção do câncer de intestino é o melhor tratamento 

 

© 2021 Jornal do Sol - Informação com Credibilidade