Jovem itabunense é a primeira candidata com Síndrome de Down na Bahia

Larissa Leal, de 26 anos, é uma jovem cheia de determinação. Ela é a primeira pessoa com Síndrome de Down a disputar uma vaga na Câmara de Vereadores de Itabuna (Bahia). Candidata pelo PDT, ela está mostrando o que é ser especial.

O desejo de ser candidata começou com a reivindicação da moça, para que sua rua fosse asfaltada. Há vários anos ela vinha cobrando uma atitude dos prefeitos.  A menina é tão decidida, que cobrou a quatro amigos vereadores o pedido. Mesmo assim, nada feito. Prefeito sai prefeito entra, a promessa só foi cumprida em 2020, depois que Larissa abordou o atual gestor, Fernando Gomes, na mesa do restaurante onde ela e os pais comiam uma feijoada. Sem pestanejar, a jovem pediu, mais uma vez, que sua rua fosse asfaltada. De acordo com o pai, uma semana após o pedido, as máquinas estavam no local executando a obra.

O pai de Larissa, o comerciante Robelis Ribeiro da Silva, conta que, depois de ver a demora no atendimento a seu pedido, ela questionou: “meu pai, eu posso ser prefeita de Itabuna?” Ele respondeu que é uma tarefa complicada. E ela falou: “e vereadora?” Ele disse: “é menos complicado, mas também tem que trabalhar muito”. Prontamente, a menina disse: “então eu quero ser vereadora”. A história foi levada a sério. No início, a mãe, Andréa Brandão Leal, e a irmã de Larissa não concordaram, por acharem uma tarefa impossível. Mas o pai comprou a ideia da filha e disse a ela: “olha, para ser vereador, tem que aprender um bocado de coisa, filiar a um partido, saber o que é um partido”. E ela respondeu: “eu quero ser, sim, pai!”

O resultado é que desde agosto de 2019, Larissa está envolvida nas atividades do partido. A campanha está a todo vapor e os projetos dela visam às minorias, como as pessoas com deficiência - com autismo, Síndrome de Down, surdos-mudos e cadeirantes. Dentre as propostas, a cadeira anfíbia para promover acesso das pessoas com deficiência à praia. “Em ilhéus não tem nenhuma cadeira para deficientes irem ao mar. Os cadeirantes têm que ser respeitados!”, diz Larissa, que também defende a criação do projeto Calçada lLgal, de acessibilidade e mobilidade, em que todas as calçadas do Centro da cidade devem ser pavimentadas pelos seus proprietários. Outro desejo é a criação de uma escola profissionalizante para ajudar pessoas com deficiência na inserção do mercado de trabalho: “Meu sonho é uma escola só para deficientes, onde eles podem ter aulas de computador. Nós temos dieito!” A candidata quer ainda implementar o reconhecimento de empresas que empregarem pessoas com deficiência, como benefício fiscal e selo de "amiga da pessoa com deficiência".

Incentivo da família

A receita de tanta determinação de Larissa está no empenho da família em sempre incentivar a jovem. "Desde que ela nasceu, faço tudo para que o sonho e as ideias dela se tornem verdade. Prometi a mim mesmo e a ela, no seu nascimento, que eu não ia ter uma filha deficiente, no sentido da palavra, e sim, muito eficiente. Fiz minhas promessas, minhas orações, e ela superou minhas expectativas”, diz o pai, todo orgulhoso. “Desde um mês de idade, eu e a mãe resolvemos elevar a autoestima dela, o que chamam hoje de empoderamento. Então ela é uma mulher muito empoderada, acredita que tudo ela consegue, é determinada. E isso é bom, porque tínhamos certeza de que ia superar os preconceitos ao logo da vida dela”, afirma.

Larissa recebe apoio de diversas personalidades. Realiza lives e passeios na campanha pelas ruas da cidade, com o distanciamento do protocolo de saúde. “Uma menina linda que representa não só as mulheres, mas as pessoas com deficiência, que vai mostrar o nosso valor. Jogue duro, chegue lá, e a gente vai discutir políticas públicas juntas”, afirma Ana Paula Matos, candidata a vice-prefeita de Salvador. Ela também recebe apoio do senador Romário, que tem uma filha com Síndrome de Down, e do secretário de saúde de Salvador, Léo Prates, que vê na jovem uma prova de que a política é uma oportunidade de inclusão.

De acordo com o pai, Larissa está feliz em pensar que pode ajudar as pessoas. Ela é uma pessoa super ativa, espontânea, carismática, alegre, e deu o resultado que deu. Terminou o segundo grau, foi convidada para entrar na faculdade, está trabalhando há três anos. É independente econômica e socialmente, tem amigas, namorado, uma vida normal. É modelo, e agora, candidata a vereadora.  “A expectativa é a melhor possível. Se for eleita, a gente vai montar uma boa equipe com o partido, com pessoas de confiança. Acho que ela vai mudar o clima na Câmara de Vereadores, como fez no local de trabalho”, diz o pai da destemida Larissa. E se não for eleita, certamente desempenhará um importante papel dentro do partido.