Eleições 2020: mais de 147 milhões de eleitores nos 5.568 municípios

Quem vai às urnas para registrar o voto não imagina que por trás das eleições, há uma estrutura gigante de preparação de mão de obra, equipamentos, logística e tudo com base no que diz a legislação. Para começar mais de 147 milhões de eleitores nos 5.568 municípios do país estão envolvidos para as eleições de 15 de novembro, para prefeitos e vereadores.

A Justiça Eleitoral conta com 2.645 juízes eleitorais, 15.400 servidores e colaboradores e aproximadamente dois milhões de mesários. São 556 mil urnas eletrônicas, nas mais de 480 mil seções eleitorais distribuídas por 95 mil locais de votação.

Nas eleições de 2020, são cerca de 550 mil concorrentes na disputa aos cargos de prefeitos e vereadores, filiados a 33 partidos políticos.

Em tempos de alerta devido ao Coronavirus, os cuidados com o protocolo aumentam a demanda de serviços, com adoção das medidas de prevenção. O horário do pleito, por exemplo, foi ampliado para atender aos protocolos sanitários. Será das 7h às 17h, sendo que até às 10h serão atendidos preferencialmente os idosos.

Orçamento para as eleições

Para custear o processo eleitoral de 2020, a Lei Orçamentária Anual autorizou o montante de R$ 1,28 bilhão. Desse total, cerca de R$ 647 milhões serão investidos na realização das eleições municipais 2020. R$ 320 milhões serão usados no pagamento de pessoal e cerca de R$ 10 milhões vão para as eleições suplementares. Elas são novos pleitos previstos para acontecer se houver nulidade de mais da metade dos votos para os cargos majoritários, neste caso, de prefeitos; e se houver decisão da Justiça Eleitoral que resulte no indeferimento do registro, na cassação do diploma ou na perda do mandato de candidato eleito em pleito majoritário, independentemente do número de votos anulados. Os outros R$ 311,3 milhões serão para manutenção e à aquisição de novas urnas eletrônicas em 2021.

O orçamento prevê ainda, R$ 106,6 milhões para o transporte das urnas eletrônicas, R$ 93,7 milhões para alimentação dos mesários, R$ 89,7 milhões para apoio administrativo, técnico e operacional. Cerca de R$ 41 milhões serão destinados ao auxílio das Forças Armadas. Outros R$ 25 milhões são para material de consumo, votação, apuração, diplomação e divulgação de resultados e outras despesas.